Booger Network

Sobre a Rede

Booger Network é uma compilação de blogs dispostos em diversas categorias. Estamos em fase de expansão e em breve teremos mais blogs e diferentes categorias.

Anuncie

Integer erat orci, congue sed feugiat eu, pharetra in tellus. Nulla vel est et mi fermentum ullamcorper at a justo. Fusce scelerisque nisi vehicula mauris placerat quis accumsan dolor adipiscing. Donec tempus, nibh ut volutpat fermentum, mauris sem imperdiet ante, at dignissim magna tortor in dui. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit.

Contato

Blogueiros

Praesent ac elit metus. Ut sed sem nec lorem fringilla molestie a vel risus. Phasellus a commodo felis. Praesent at libero velit.

Leitores

Donec facilisis, sapien ut elementum faucibus, justo urna dignissim sapien, vel elementum lorem est euismod nisi.

Anunciantes

Fusce vitae nunc mi, quis faucibus orci. Nam id lorem justo. In arcu lectus, commodo eget pharetra sed, rutrum quis sapien.

.: Malvadas :. » Pitacos Masculinos

A mulher ao seu lado é o sonho de outrem

por em 27/10/2013 às 17:25

mulheresMulheres gostam de verdades. Mas não acreditarão fielmente de que seu celular estava sem bateria, de que seus amigos gostam dela ou de que sua ex-namorada não significa mais nada para você. Mulheres gostam de maquiagens sutis e cabelos bem lisos. Mulheres têm olhos angelicais e diabólicos. Ambos funcionarão com você. Ambos te levarão ao céu ou ao inferno. Mulheres são péssimas motoristas. Mas são ótimas condutoras.

Mulheres que não bebem são boas. Já as que bebem são ótimas. Mulher anda como quem desfila. Como quem grita por aí tua tendência a ser miss quarteirão de todos os anos. Melhor do que perfume caro é cheiro de banho tomado. E, também, o cheiro da pele suada que empresta sua essência às camisolas mais leves. Melhor do que vestidos da moda são as nossas blusas sociais sortudas. Aquelas que por algum motivo foram esquecidas na segunda gaveta e agora faz parte do cabide principal feminino.

Melhor do que cabelos alisados é rabo de cavalo ou fios inteiramente despenteados. Mulher deve dormir encolhida e acordar quase me expulsando da cama. Mulheres que xingam são mais atraentes. Mas não xingue como um ser depravado. Mulher tem que ter pudor para saber como não tê-lo nas horas certas. Mulher não precisa saber cozinhar. Mas cabem algumas tentativas frustradas.

Continue lendo →

CompartilheComentários desativados

Sobre os fetiches masculinos coletivos

por em 27/09/2013 às 19:59

amSegundo um amigo, autor do Blog do Jorge, homem tem fetiche por qualquer coisa. Eles sonham com mulheres peitudas e, ao mesmo tempo, curtem aquelas com seios delicadinhos que se encaixam na mão. Adoram as submissas e as dominadoras na mesma medida. A preferência passa da loira para a mulata, e vice-versa, conforme a oferta. Tudo vale como desculpa para sentir tesão. De qualquer forma, conversei com vários amigos tentando explicar a vocês as principais taras que os caras têm. Eis o resultado desta enquete.

Ruivas: Elas são uma ideia arquitetada por Deus e aperfeiçoada pelo diabo. Talvez na Irlanda, onde cabeleiras vermelhas são tão comuns quanto uma pint de Guinness, não chamem tanto a atenção. Mas o resto do mundo ocidental fica enfeitiçado. Pode ter mulher mais bonita por perto, mas vamos mirar a ruivinha sardenta. Além de ser mais raro, há aquela curiosidade de saber se o tapete é da mesma cor das cortinas.

Orientais: Das etnias citadas, as orientais ganham disparado. Principalmente, as niponicas. Além da fantasia da gueixa, elas sugerem uma delicadeza que mexe com a rudeza masculina. E ficam mais interessantes com um toque de brasilidade. Mestiças em geral fazem sucesso, mas nossas nisseis e sanseis são um espetáculo à parte.

Uniformes: Qualquer profissão que envolva uma roupa específica de trabalho pode ser sensualizada. Por isso reparamos sempre em aeromoças, enfermeiras, garçonetes e por aí vai. A gente arregala os olhos mesmo se colocarem uma gata dentro de um macacão de mecânico sujo de graxa. Se as Forças Armadas formassem tropas mistas, o alistamento nem precisaria ser obrigatório.

Continue lendo →

CompartilheComentários desativados

Juninho, um machista no capricho

por em 19/09/2013 às 15:20

Macho_PorraJuninho nasceu. Dia de festa na família, de orgulho. O filho varão. Quarto azul, roupinhas azuis. Azul é o ursinho. Azul é o chocalho. Trata-se de um menino, homem, e tem logo que ser identificado com tal. Não deixar dúvidas.

Juninho é carregado pelos tios e logo seu pênis, mesmo diminuto, é louvado. “Pintão!”. “Esse puxo ao tio!” As tias se apressam em arranjar um par para quem tem um dia de vida. “Agora a filha de Maria e João tem com quem namorar”, diz uma. “Tem também a de Pedro e Juliana“, lembra outra. Chegam logo a um consenso que ele dará conta de todas.

É garanhão. É homem. Surge a conclusão que ele estava virado para o lado direito, pois, nessa posição, poderia ficar de olho na menininha ao lado no berçário. Conversa vai conversa vem, alguém lança a teoria que quando ele chora as garotinhas se calam para escutar o grito másculo do conquistador.

Juninho é homem e como homem será criado. É uma família que nutre a testosterona, a macheza, com muito cuidado. Não podem fraquejar, por tudo a perder.

O menino cresce e é teleguiado na ordem. Bola e carrinho. Falcon e Comandos em Ação. Um dia Juninho tocou em uma Barbie. De imediato foi repreendido. “Não é para menino“. Ele beijou um amiguinho na bochecha. Recebeu uma bronca maior. Roubou um beijo na boca da coleguinha. Quanta alegria dos pais, que fingiram desaprovar diante dos familiares da garota, mas comemoraram em casa o avanço do amado homenzinho. “Esse não nega. Vai pegar todas. Hehehehe!” Como o pai está feliz.

É gradual. Juninho aprende a ser homem, macho, como se espera, é o que tem que ser. O tio o abraça e pergunta: “Quantas namoradas já tem na escola?” Juninho responde: “Sete“. O abraço fica ainda mais apertado. Respondeu assim… na obrigação, no escapa. De tanto ser questionado e ficar perdido sem saber o que falar, contou as amigas de classe e jogou o número na inocência. Foi premiado, viu que agradou. Tempos depois aumentou para oito. Mas comemorado ainda. Juninho fixou que quanto mais aumenta a soma, mais homenageado é.

Aprendeu. Homem tem que pegar muitas, tem que contar que pega muitas e aí causa contentamento. Mulher é feita para ser apanhada. Juninho já sabe que isso “é coisa de homem“, que “homem é assim mesmo“, “que quem quiser que prenda suas cabritas que o meu bodinho está solto”. Juninho fixou.

Chegou na adolescência e tem consciência de que o mundo é machista, desde o começo é desse jeito, fim de papo. Ele dos que saem e paqueram. Dos que se ligam em uma garota e vão para cima. Dos que acham que a fêmea tem que ceder, que sua cantada é imbatível, que insistir é fundamental.

Continue lendo →

CompartilheComentários desativados

Homens que chupam (só para mulheres)

por em 18/09/2013 às 21:18

oralHomens que chupam estão em falta.

Claro que não tenho como comprovar essa afirmação, mas de tanto ler, ouvir e observar acredito que é isso mesmo: Os verdadeiros amantes do cunilingus compõem uma irmandade silenciosa e discreta, tão aplicada quanto rara.

Afinal é preciso ter devoção pelo corpo da mulher: Se ajoelhar, se curvar, manter uma atitude ao mesmo tempo respeitosa e atrevida, controlar a ansiedade das mãos e, num primeiro momento, deixar-se guiar apenas pelo olfato e sentir com os lábios a delicada textura repleta de umidade e calor.

É preciso paciência. É preciso saber apreciar o gosto de mar e de sonho que emana de cada dobra e que se mostra mais e mais pungente conforme a face avança por entre camadas macias num contato que envolve os lábios, a língua, toda a boca e por fim o nariz e o próprio rosto, fazendo da testa e do queixo extensões dos dedos que dentro em breve também entrarão em ação.

Homens que chupam não se importam em posicionar o pescoço numa curva incomum para testemunhar o espetáculo de um rosto em convulsão, lábios que se abrem e fecham num sorriso ou na intenção de um grito, ouvir meias palavras, suspiros, gemidos e frases desconexas e sem sentido, pois sabem que o espetáculo da entrega é o melhor a que se pode assistir.

Continue lendo →

CompartilheComentários desativados

Por romances menos apressados

por em 28/08/2013 às 19:35

eoventolevou-filmeUm amigo meu nunca teve muito problema para catar mulher. Sim, “catar”, como moleque roubando goiaba no quintal do vizinho. Pula a cerca correndo, pega quantas frutas puder carregar e dá o fora. Em uma balada, ele fazia mais ou menos isso. Chegava dançando e lançava um sorrisinho safado. Se a recepção fosse boa, logo segurava uma das mãos no meio do gingado. Mal trocava duas palavras e beijava. Nem queria saber o nome. Às vezes, perguntava se eu tinha visto o rosto da garota, pois não lembrava se era bonita. Esse estilo de romance “drive-thru” nunca me atraiu.

O volume da música e a geografia do lugar sempre influenciaram o meu comportamento em festas. Gosto da conversa. Se está muito barulho a ponto de ninguém se ouvir ou se não há um espaço para desafogar a muvuca, eu passo a noite perdidão. Mas tem gente que curte esse desapego. Quando eu era mais jovem, lembro de uma amiga que se orgulhava de ter beijado uns trinta em uma micareta. Para cada um, fez uma marca no abadá. Ainda acho que ela não beijou de verdade nenhum. No máximo, trocou um pouco de saliva com eles, como em uma churrascaria rodízio.

Continue lendo →

Dustin Hoffman como Tootsie

por em 10/07/2013 às 17:36

tootsie shaving

“Murray Schisgal, se mantém um querido amigo há mais de 30 anos, iniciou Tootsie com a idéia de: ‘Como você seria diferente, se tivesse nascido mulher?’. Essa foi a conversa que tivemos uma vez, não ‘Como se sente sendo uma mulher?’ porque todos os sexos já se fizeram a pergunta, de como seria ser do sexo oposto. A pergunta dele foi diferente: ‘Se você tivesse nascido mulher, como você seria diferente?’.

Isso iniciou, e demoraria muito para responder como nos envolvemos em Tootsie, que levou dois anos de desenvolvimento, mesmo antes de acharmos um diretor para trabalhar em rascunhos do roteiro. Mas eu fui para Columbia e perguntei se eles gastariam o dinheiro em testes de maquiagem, para que eu pudesse parecer uma mulher e, se eu não conseguisse parecer uma mulher, eles concordariam em não fazer o filme. Eles questionaram o que eu queria dizer com isso, então respondi que, intuitivamente eu pensava que se não conseguisse andar nas ruas de Nova Iorque, vestido de mulher, sem pessoas se virando e se perguntando ‘Quem é aquele cara em Drag?’, ou que se virassem para olhar por qualquer motivo, do tipo ‘O que é essa aberração?’. A menos que eu conseguisse isso, não gostaria de fazer o filme, não queria que o público deixasse de acreditar.

Quando chegamos nesse ponto e vimos na tela, eu fiquei chocado por não ser mais atraente. Eu disse ‘Agora que me transformaram em uma mulher, me transformem em uma mulher linda!’, porque eu pensei que eu deveria ser bonita. Se eu ia ser uma mulher, eu queria ser o mais bonita possível. Eles me disseram que isso é o melhor que poderiam fazer. Foi naquele momento que eu tive uma epifania.

Fui para casa e comecei a chorar, falando com a minha mulher, eu disse: ‘Eu preciso fazer esse filme!’, ela perguntou o motivo e eu disse ‘Porque eu acho que sou uma mulher interessante, quando me vejo na tela, mas eu sei que se eu me conhecesse em uma festa eu nunca falaria com aquela personagem, porque ela não satisfaz fisicamente as demandas que nós somos criados a pensar que as mulheres devem ter para que as convidemos para sair. Ela perguntou o que eu estava dizendo, então eu disse ‘Existem mulheres interessantes demais que eu deixei de conhecer nessa vida porque eu sofri lavagem cerebral’. Isso nunca foi uma comédia, para mim.”

Traduzi livremente o texto direto do vídeo, pois não o achei com legendas.

Apreciem a sensibilidade deste ator:

Carência feminina e o tédio masculino

por em 8/07/2013 às 22:39

484943_373431449412957_2079564779_n- “Ele não me beija mais com tesão”.

- “Ele não me dá carinho e nem diz coisas românticas”.

- “Ele não me liga todo os dias e parece que nunca liga para o que eu falo.”

Mulheres podem usar como desculpas a TPM ou até mesmo a sensibilidade feminina para justificar suas falhas, mas e os homens? Bem, tirando certas preocupações (como o trabalho ou o stress por causa do time de futebol que não tem andado bem das pernas) poucas coisas sobram.

Sem contar que até mesmo estes tipos de desculpas nem sempre servem, pois muitas mulheres acham que nós, homens, devemos colocar o relacionamento acima de tudo. Ou seja: mulher pode chutar o balde e ter ataque de raiva por causa da TPM. Nós não. E elas também podem ficar sem fazer sexo por causa do stress no trabalho, ou porque se acham dois quilos mais gordas, mas quando fazemos o mesmo, somos o quê? Oras, grosseiros ou insensíveis. Claro, se não tem sexo, também somos broxas.

Nós também temos o direito de um dia péssimo. E também temos o direito de não estarmos nem um pouco interessados em beijinhos, abraços ou palavras doces. A gente não quer NEM DISCUTIR A RELAÇÃO. Sim, muitas vezes queremos apenas um pouco de paz: sem julgamentos e sem precisarmos escutar pela enésima vez todos os nossos defeitos. Porque, por mais que um sujeito possa ter a memória fraca, não dá para esquecer que não tem sido carinhoso o suficiente, que não tem ligado com frequência, e (essa é ruim de aguentar) que ele não responde todas os benditos SMS.

Continue lendo →

Como reconhecer uma mulher sexy

por em 14/06/2013 às 22:56

pin-upNinguém sabe bem de onde vem essa coisa que faz os homens girarem o pescoço e as mulheres se contorcerem quando a veem. A mulher sexy é a maior inimiga das outras e a amante ideal de todos os homens que ainda possuem alguma consciência racional.

Ela é do tipo que se pega mordendo lábios e encarando sem medo nenhum de revelar que o alvo está ali e que essa noite a presa é toda dela.

Uma mulher sexy não trai nenhum de seus movimentos. Ela é planejada milimetricamente para matar. Sabe aquele tipo que veste pijamas, mas cruza as pernas de uma forma que combina com o olhar direto, firme e forte e com a jogada de cabelo naturalmente distraída?

Ela é um conjunto inteiro que diz mais que um fator só. Você não vai se importar em acordar do lado dela e dar de cara com cabelo desfeito, cara lavada e roupas comuns. Aliás, ela mesma não se importa com isso porque o que importa nela é ela mesma.

Não tem como apontar nela uma única característica: o que vale é que é um tipo reconhecível que não precisa de explicação. A vantagem da mulher sensual é que ela pode ser alta, baixa, magra, gordinha, morena, loira, ruiva ou qualquer outro desses tipos físicos.

Continue lendo →

A 'máfia' dos solteiros nas redes sociais

por em 12/06/2013 às 17:12

1010177_396664173784657_2022323571_nDia dos Namorados e o que mais vi circulando pelas redes sociais foram reclamações. Várias imagens e frases de como a vida de solteiro é boa. Que maravilha! Bom saber que muitos defendem que não precisam passar esta data namorando visto que não se passa o Dia da Árvore com uma. Aliás a pessoa que começou a usar essa citação devia ser muito forever alone.

O que intriga, na verdade, é porque essas pessoas reclamam disso apenas neste dia em específico? Ontem diziam que não encontravam alguém que valesse a pena e amanhã, certamente, voltarão a colocar nas suas atualizações que não há quem preste para se envolver. Só uma dica: isso pega mal.

As pessoas acham que é conveniente num dia fazer simpatia pra São João (ou seria Santo Antônio?) e no outro postar tanta imbecilidade defendendo a causa dos solteiros? Ah, deve ser por isso que estão sozinhos. Tem que rezar para todos os santos. Um ajeita e o outro escolhe a pessoa ideal. Seria o erro não ter compartilhado aquelas correntes? “Se não enviar para 70 pessoas ficará sozinhos para sempre…”. Aposto que você ignorou.

Continue lendo →

Bonecas de quatro

por em 10/06/2013 às 14:55

deqauHoje vou falar de coisa séria: vou falar de mulher. Aliás, nem tanto, pensando bem. Vou falar de feministas e muitas dessas não são exatamente mulheres. E também de gente que quer fazer meninas brincarem com carros e meninos com bonecas em nome da “tolerância“. Até quando vamos ter que tolerar esses maníacos em zoar a vida dos filhos dos outros?

O fascismo nunca perde força. Em nome de uma educação para diversidade, os fascistas de gênero agora querem se meter nos brinquedos das crianças.

Quando será que a maioria silenciosa vai dar um basta nessa palhaçada pseudocientífica chamada teoria de gênero na sua versão “hard” (engenharia psicossocial do sexo)? Quando vamos deixar claro que essa coisa de dar boneca para meninos quererem ser meninas é, isso sim, abuso sexual?

Quem sabe, quando as psicólogas e pedagogas tiverem coragem de parar de brincar com a sexualidade infantil fingindo que acreditam nessa baboseira de trocar os brinquedos de meninas com os dos meninos e vice-versa.

Mas, vamos aos fatos. Há alguns anos, assistia eu um pequeno festival de curtas sobre diversidade sexual quando ouvi uma das maiores pérolas desta pseudociência do sexo.

O curta abria com uma cena de sexo em uma cadeia. Um casal, um homem e um travesti, faziam sexo. O travesti de quatro, o homem por trás. Os dois gozavam ao final. O curta seguiu seu curso, mas não é o filme em si que me chamou atenção.

Continue lendo →

Presentes para homens: Guia básico para mulheres!

por em 1/06/2013 às 3:06

Sim, com o Dia dos Namorados chegando vou facilitar para as leitoras deste blog o que deve ser dado de presente. Papo puramente hetero. Presentear um homem não tem a mínima comparação de ser obrigado a fazer o mesmo para uma mulher. Então aí vai um guia básico para as mulheres de como presentear um cara sem fazer feio:

Regra #1: Quando estiver em dúvida compre uma furadeira sem fio. Não importa se ele já tem uma. Tenho um amigo que tem 17 furadeiras e nunca reclamou. Um homem nunca tem furadeiras sem fio de mais. Ninguém sabe o motivo.

Regra #2: Se você está muito quebrada compre algum acessório para o carro. Pode algo para pendurar no retrovisor, adesivo do time ou até mesmo um pretinho pros pneus. Homens adoram presentes para o carro. Ninguém sabe o motivo.

Regra #3: Você pode comprar também um controle remoto reserva para que ele não fique preocupado em estragar/perder o atual. Caso você tenha uma grana extra sobrando compre aquela televisão grande. Veja o quanto ele fica maluco trocando os canais.

Regra #4: Nunca compre para um homem desodorante/loção pós-barba/perfume. Homens gostam de pensar que não fedem. Que têm odor natural.

Continue lendo →

Perdi ela

por em 18/04/2013 às 14:49

tomwaits500Boa noite Gabe e pessoal do Malvadas,

O meu nome é Duarte, sou português, tenho 22 anos e recentemente descobri uma pequena parte do universo de blogs brasileiros.  Visito alguns diariamente e encontrei neste blog uma oportunidade de contar parte da minha história. Quem sabe desabafar um pouco.

Namorei mais de 3 anos com uma boa moça de família e séria. Durante esse tempo tivemos altos e baixos. Ou era ela com problemas familiares ou eu com a correria de provas da Universidade. Neste tempo não tinha tempo nem para mim. 

Fazem quase três semanas que terminamos. Ela disse que suas razões foram por eu ser muito ausente e que não tinha o que reclamar quando estávamos juntos. Embora quando entre amigos eu fosse “um querido”n, não gostava das minhas brincadeiras. Disse que respondia torto. Eu também era a razão pela qual ela tinha atritos com os pais e por consequência eles não a deixavam sair com as amigas.

Quando saíamos de férias, para nossa terra natal, ela já não se sentia muito a vontade comigo. Então dei-lhe razão. Era tudo verdade e lá no fundo eu sabia que era.

Continue lendo →

Não busque aceitação: você não é o que você pensa

por em 16/04/2013 às 15:12

destacada3

“Imagine um mundo onde beleza é uma fonte de autoconfiança e não de ansiedade”. Foi a partir deste principio – que, na teoria, parece ser bem simples – que a campanha se desenvolveu. Um filme que, certamente, vai provocar o público feminino e o masculino. Afinal, para que e para quem você vive? Ao assistir estas mulheres se descreverem, é quase certo que a insegurança de muitos usuários vai acabar se refletindo na telinha. Estes seres humanos que se definem e se reduzem como “apenas” um nariz fora de um padrão qualquer ou, ainda, se percebem com alguns números/quilos acima do que os outros esperam é algo que, infelizmente, nos é comum e familiar. Na minha opinião, a forma como elas falam de si chega a ser, de um jeito muito pouco sutil, bastante cruel. Se desvalorizam por aspectos que provavelmente passem despercebidos se comparados com as qualidades que as respectivas detém, mas que, infelizmente, encontram-se escondidas embaixo de seus “defeitos”.

Ao generalizar e dizer que você, sendo homem ou mulher, pode, certamente se identificar com o que está prestes a assistir, eu me apoio em uma triste estatística que mostra que apenas 4% da população feminina mundial se considera bonita: será que você faz parte dela?

Um vídeo que vale o play, a reflexão e, sem sombra de dúvida, uma mudança. Portanto, arrisque:

“Uma pessoa não é um nariz grande ou um cabelo ressecado. Ela é o conjunto de atributos que se somam ao brilho, muitas vezes escondido, de um olhar.”

Continue lendo →

Pedagogia da manga

por em 11/01/2013 às 14:21

“Mil perdões, leitores mais delicados, pelo sexo hortifruti explícito. Sorry, seu Adão, mas a manga é a nova maçã.

E chega de gracinha fácil, seu cronista preguiçoso em plena véspera do apocalipse. Vamos ao que interessa.

Uma das queixas recorrentes sopradas pelas mulheres, sejam raparigas em flor ou lindas afilhadas de Balzac, diz respeito à pratica milenar do sexo oral por parte dos homens.

Além de displicentes e pouco devotos, os rapazes, em particular os da novíssima geração, não estariam voltados para tal cerimônia como necessário. Não seriam, digamos assim, tão chegados, tão devotos.

Continue lendo →

Um gosto de podre na boca

por em 30/10/2012 às 13:40

Sexo-cozinha-hg-20101004Por ANDRÉ SANT’ANNA

E ela chama isso de “fazer amor”. Já eu acho meio nojento. A começar pelo teatro. A cena do supermercado é obrigatória. A gente lá, pelos corredores, entre as prateleiras, escolhendo produtos especiais para uma noite especial:

- Vamos levar essa mostarda da Alsácia? Pega pra mim aquele vinho branco alemão. Olha só, Amor, o queijo que você adora!

Alguém tem ideia do gosto do beijo dela, depois do queijo que nós adoramos, do vinho branco doce e do boquete que ela faz questão de pagar em noites especiais?

Aí tem a cena da cozinha. Tudo teatro. Teatro não -comercial de molho de tomate. O casal sorridente, cortando pimentão, temperando frango. Então, ela começa a se esfregar. Fica encostando aquele bundão em mim, sempre fingindo naturalidade.

Não sei quem inventou que sexo é coisa espontânea. Quem faz sexo espontâneo é cachorro vira-lata. E é assim que me sinto: um vira-lata sarnento – o cheiro da cebola, do alho, do suor azedo que encharca meu sovaco nessas horas.

Continue lendo →