Booger Network

Sobre a Rede

Booger Network é uma compilação de blogs dispostos em diversas categorias. Estamos em fase de expansão e em breve teremos mais blogs e diferentes categorias.

Anuncie

Integer erat orci, congue sed feugiat eu, pharetra in tellus. Nulla vel est et mi fermentum ullamcorper at a justo. Fusce scelerisque nisi vehicula mauris placerat quis accumsan dolor adipiscing. Donec tempus, nibh ut volutpat fermentum, mauris sem imperdiet ante, at dignissim magna tortor in dui. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit.

Contato

Blogueiros

Praesent ac elit metus. Ut sed sem nec lorem fringilla molestie a vel risus. Phasellus a commodo felis. Praesent at libero velit.

Leitores

Donec facilisis, sapien ut elementum faucibus, justo urna dignissim sapien, vel elementum lorem est euismod nisi.

Anunciantes

Fusce vitae nunc mi, quis faucibus orci. Nam id lorem justo. In arcu lectus, commodo eget pharetra sed, rutrum quis sapien.

.: Malvadas :. » Relacionamentos

Garota Interrompida

por em 10/12/2013 às 13:19

O abuso sexual, um tabu que causa não só traumas, mas prazer e culpa

tpm105-abusadas-002

Sofia* tinha 6 anos quando descobriu a sexualidade – pelo menos, na prática. Estava com o primo de 17, na casa da avó, quando ele começou a tocar regiões do seu corpo em que só sua mãe encostava, durante o banho. A menina não sabia que aquele tipo de carinho, nessas circunstâncias, não era natural entre adultos e crianças, embora aconteça em muitas outras famílias. E, nas primeiras vezes que Marcos* se esfregou nas coxas dela até ejacular, tocou seu clitóris ou mandou que ela fizesse sexo oral nele, Sofia ficava paralisada pelo medo da situação desconhecida. A confusão aumentou quando sentiu que os estímulos geravam uma sensação prazerosa – porém involuntária –, causada pelas terminações nervosas que se concentram nas zonas erógenas do corpo. Como qualquer criança, ela descobriria isso interagindo com amiguinhos da mesma idade e tocando o próprio corpo. Mas não deu tempo.

A menina passou oito anos se submetendo aos desejos eróticos do rapaz. Ele, então, pedia a ela que não contasse a ninguém o que faziam, senão os pais dela sentiriam vergonha. De fato, nenhum familiar, mesmo morando todos no mesmo sítio, parecia desconfiar. Nem quando ela completou 14 anos e Marcos a iniciou no sexo com penetração.

Mas por que, afinal, uma menina não diz “não” ao passar por isso? “É difícil dizer ‘chega’, pois a nossa sociedade é caracterizada pela submissão da criança ao adulto”, explica a psicóloga Karen Michel Esber, que escreveu o livro Autores de Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes. Sofia, hoje com 33 anos, confirma o que diz a especialista. “Ele se fazia de ‘o primo mais legal’ e criei certa dependência da relação.

Por isso, me sentia culpada. Como podia gostar do cara que fazia aquilo comigo?”, questionava ela. Embora nunca tenha sido pega à força, Sofia arriscava dizer “não quero”. Mas o garoto respondia que ia ser rápido e partia pra cima. “A mulher tem tendência a resistir, resistir até que cede. Quando a relação é saudável, o homem a corteja até ela se entregar por amor. No caso de abuso, ela entrega os pontos”, resume o psicanalista Oscar Cesarotto, da PUC-SP. Ele conta que suas pacientes que sofreram abuso sexual** só depois foram descobrir que as questões que as levaram a procurar seu consultório – dificuldade de se relacionar com filhos ou marido, ou travas sexuais – estavam associadas aos traumas da infância.

A constatação acima é comum a todos os médicos e psicólogos ouvidos pela Tpm. Os especialistas também concordam que casos de abuso acontecem com igual frequência em todas as classes sociais, embora percebam que nas mais altas o comum é abafá-los. Porém, quando o silêncio é rompido, elas costumam lidar melhor com a questão. “As mais pobres têm preocupações básicas de sobrevivência”, observa o psicólogo Julio Peres, autor de Trauma e Superação – O Que a Psicologia, a Neurociência e a Espiritualidade Ensinam. Por exemplo, se o salário vai dar para pagar as contas. “Já as que têm estudo, condições financeiras, enfim, mais possibilidade de refletir sobre si mesmas, assimilam melhor a experiência”, conclui.

Apesar das variáveis, ninguém que passe por isso está privado de conhecer, precocemente e de uma só vez, sensações tão paradoxais quanto prazer, culpa e solidão. “A criança sente dificuldade em saber que aquilo é errado. Geralmente, o abusador é alguém em quem confia, que muitas vezes dá doces ou um dinheirinho para conquistar o silêncio”, esclarece Daniela Pedroso, psicóloga e mestre em saúde materno-infantil. Ela trabalha há 12 anos no Núcleo de Atenção Integral a Mulheres em Situação de Violência Sexual do hospital paulistano Pérola Byington. Lá, todos os dias são atendidos entre 15 e 18 casos de violência sexual, sendo a metade deles com crianças. Mas estima-se que as 21 mil denúncias que o hospital recebeu em 16 anos representem apenas 10% do que acontece na realidade.

Continue lendo →

CompartilheComentários desativados

Apaixonada pelo filho do patrão

por em 5/12/2013 às 18:55

http://curlytops.deviantart.com/

http://curlytops.deviantart.com/

Tenho 16 anos e em março desse ano arrumei um emprego. Nessa empresa os patrões são muito amigos dos funcionários e assim acabei me aproximando da família. Meus patrões tem dois filhos, um faz faculdade perto de onde eu estudo e quando eu saía tarde do trabalho ele me dava carona pra escola.

Há três meses essas caronas ficaram diárias, até que certo dia estávamos indo para a escola e ele disse umas coisas do nada!  Que não tava a fim de se envolver com ninguém agora, que está no último ano de faculdade, além de  trabalhar e estudar demais, que sofreu muito não quer mais isso pra si, nem para outra pessoa.

Quando chegamos na escola eu fui sair do carro e ele me deu um selinho, falou pra eu pensar no que ele tinha dito e que na hora da saída ele me buscaria. Nesse dia logo que entrei no carro ele falou: Espero que não tenha vindo aqui atoa! Chegando perto de casa rolou o primeiro beijo e foi aquela química de perder o ar. Nisso ficamos mais umas vezes, teve até um dia que ele passou lá em casa e me buscou ficamos no caminho para a escola.

Um belo dia saí cedo e ele também, aí rolou um convite de sairmos um pouquinho e eu aceitei. Paramos o carro para conversar e foi rolando aquela química inevitável: acabamos transando!
Eu inconsequente me apaixonei! Nisso fizemos mais três vezes, a última foi ontem e ele disse que só não vale se apegar, que a brincadeira tá boa assim, nem eu podia me apaixonar, muito menos ele! Fiquei assim sem reação, porque eu sabia disso mas tinha esperança dele se apaixonar por mim também…

O que eu faço? Dou um tempo e deixo ele pra lá? Ou invisto forte porque do jeito que ele falou parece que também pode se apaixonar apesar de não querer! A família dele super apoia, a mãe dele sempre diz que adoraria que eu fosse nora dela.

Um beijo fico no aguardo do seu conselho!
A. Caroline R. P.

Continue lendo →

CompartilheComentários desativados

Não aguento mais ser gorda

por em 21/11/2013 às 13:12

tumblr_luzrtagcJS1qezus0o1_500“Oi linda, espero que responda esse e-mail.

Meu nome é Sheila, tenho 36 anos, sou casada e sem filhos (apesar de querer muito). Há tempos tento (na verdade só penso… rs) perder o excesso de peso que me deixa tão triste, cheguei a fazer um blog com o foco nisso. O nome era “Agora já é passado”, mas abandonei, parei de escrever.

Queria suas dicas pois preciso muito, ando deprimidíssima e o peso tá agora mais que nunca me deixando louca!

Beijos flor”

Querida, passei por isso toda a minha vida, mesmo quando era magra. Antes da puberdade eu sofria por ser “grande”: eu era magérrima, despeitada e nem tinha quadril ou bunda grande, era um fiapo e me achava gorda e ridícula porque as minhas coleguinhas eram mignon. Depois fui gordinha minha adolescência toda até que entrei em forma com uns 18 anos, antes de entrar na faculdade. Na faculdade engordei 40 quilos.

Minha mãe me cobrava emagrecimento, que eu estava largada, que não me cuidava. “Como que tu deixou chegar nesse ponto?” ela chorava. Percebi que não adiantava entrar em desespero por ser gorda ou querer o corpo de outra pessoa. Foi muito sofrido, mas percebi que só conseguiria mudar meu corpo como eu queria se eu aceitasse e amasse esse corpo, ao invés de rejeitá-lo.

Continue lendo →

CompartilheComentários desativados

Receita de um médico à depressão

por em 12/11/2013 às 17:23

Essa mensagem está rodando nas redes sociais. Trata-se de um receituário de um médico para uma paciente que, aparentemente, sofre de depressão:

paris

“Não, eu não vejo nenhuma razão de lhe prescrever antidepressivos. Você está apenas triste. Um acontecimento doloroso dói, mas a solução para dor não é a química. Você certamente tem força suficiente para seguir em frente e encontrar os recursos para agir e reagir”.

Achei tão digno!

CompartilheComentários desativados

Amar é para os corajosos

por em 11/11/2013 às 15:03

424563_200471713391925_178917785547318_281072_1692435926_nComeço de semana. A chuva escorre lenta e implacável pela janela do décimo segundo andar de um dos milhares de prédios que fazem dessa São Paulo uma verdadeira selva de pedras. As buzinas lá de fora ressoam aqui dentro, enquanto um coração bate que não cabe nesse apartamento. Ouço Dominguinhos se lamentando, num forró triste de tanta saudade – eu só quero um amor que acabe o meu sofrer. Um xodó pra mim, do meu jeito, assim, que alegre o meu viver. E quem não quer, brother?

Do monge ao executivo, do diabo ao dono do céu, do rei do camarote ao mendigo da Praça da Sé. Todo mundo quer pão de queijo com chocolate quente em dia frio, cervejinha com mandioca frita em dia quente e um colo carinhoso pra deitar – independente da temperatura que faça lá fora. Acompanhamento? Sexo com intimidade, parceria nos caminhos da vida e um pouco de pimenta, que é pra servir como veneno antimonotonia. Porque bobo ninguém é – a gente sempre quer do bom e do melhor. Mas será que a gente está disposto a pagar o preço que esse banquete vale?

Continue lendo →

CompartilheComentários desativados

Papo com o leitor: Minha namorada de 16 anos quer casar!

por em 9/11/2013 às 11:00

image

“Meu nome é Alisson, tenho 18 anos e namoro com uma garota que tem 16, há 1 ano e 4 meses.

De um tempo pra cá, ela vem com essa história de casamento, fica me perguntando porque não nos casamos logo. Eu sempre digo porque não temos condições pra ter uma casa, porque meus pais são separados e meu irmão e eu que sustentamos nossa casa. Tenho um irmão especial e minha mãe não trabalha. Eu não quero morar na minha casa e nem na casa dela, porque a partir do momento que estarei casado, terei que arcar com minhas responsabilidades como homem.

Ela não tem nem o Ensino Médio completo, não trabalha, não sabe o que fará após terminar o colégio e ainda me diz: “quando se ama, não há nada que impeça as pessoas de casarem”. Eu literalmente penso: “Errado!”. Pô, ela quer casar pra morar de aluguel. Eu não quero que isso aconteça jamais. Porque se eu não tiver condições de sustentar minha família, eu não vou começar uma. Quero deixar pra minha mãe alguma ajuda financeira, para que ela se estabilize e não precise mais de nenhuma ajuda.

Meu sonho é constituir família, ter filhos, eu adoro crianças e amo minha namorada mais que tudo! Mas eu gostaria que ela tivesse a compreensão de que no momento não existe essa possibilidade, ela acha que estou só enrolando. Eu acho que ela nem deveria pensar nisso agora, ela tem exemplos das irmãs que casaram cedo, já tem filhos e são adolescentes, donas de casa, que são dependentes dos maridos. Eu não quero isso, quero que ela seja independente, que conquiste suas coisas e tenha sucesso profissional e pessoal.

Se pudesse me indicar o melhor caminho ficaria grato. Vocês fazem um ótimo trabalho com o blog.

Um abraço de um mero leitor,

Obrigado.”

Querido, eu penso que você está correto, além de mostrar o valor que a família tem na sua vida. Vocês estão em um momento em que o estudo e desenvolvimento profissional são o foco, a idade não os impede de casar mas não faz sentido, porque existem outras necessidades que antecedem esse tipo de compromisso.

Continue lendo →

CompartilheComentários desativados

A mulher ao seu lado é o sonho de outrem

por em 27/10/2013 às 17:25

mulheresMulheres gostam de verdades. Mas não acreditarão fielmente de que seu celular estava sem bateria, de que seus amigos gostam dela ou de que sua ex-namorada não significa mais nada para você. Mulheres gostam de maquiagens sutis e cabelos bem lisos. Mulheres têm olhos angelicais e diabólicos. Ambos funcionarão com você. Ambos te levarão ao céu ou ao inferno. Mulheres são péssimas motoristas. Mas são ótimas condutoras.

Mulheres que não bebem são boas. Já as que bebem são ótimas. Mulher anda como quem desfila. Como quem grita por aí tua tendência a ser miss quarteirão de todos os anos. Melhor do que perfume caro é cheiro de banho tomado. E, também, o cheiro da pele suada que empresta sua essência às camisolas mais leves. Melhor do que vestidos da moda são as nossas blusas sociais sortudas. Aquelas que por algum motivo foram esquecidas na segunda gaveta e agora faz parte do cabide principal feminino.

Melhor do que cabelos alisados é rabo de cavalo ou fios inteiramente despenteados. Mulher deve dormir encolhida e acordar quase me expulsando da cama. Mulheres que xingam são mais atraentes. Mas não xingue como um ser depravado. Mulher tem que ter pudor para saber como não tê-lo nas horas certas. Mulher não precisa saber cozinhar. Mas cabem algumas tentativas frustradas.

Continue lendo →

CompartilheComentários desativados

Papo com o leitor: O que aconteceu com as mulheres?

por em 24/10/2013 às 18:08

homem quer compromisso sério“Oi Gabe. Meu nome é “Sharpe”. Estava vagabundeando na internet pra evitar lidar com o conteúdo da prova de amanhã e numa dessas zapeadas encontrei o Malvadas. Primeiro, achei você bem gostosinha. Segundo, gostei da sua honestidade e foi ela que me fez escrever.

A situação: sou um cara solteiro e gosto disso, mas nos últimos tempos bateu aquela vontade de ter um cobertor de orelha, uma coxa grossa com cinturinha fina debaixo do edredom, vendo aquele filme velho, agarradinho depois de ter transado feito dois animais.

Mesmo gostando da solteirice, há momentos em que é necessário o aconchego daquele corpo feminino, cheiroso e coisa e tal. Não sou nenhum Jhonny Depp, mas também não sou o Tiririca. Se fosse fazer uma comparação, eu seria o Rodrigo Lombardi com 26 anos e sem o dinheiro que ele tem. Partindo desse princípio, é de crer que não seja difícil “me dar bem na laçada”. E realmente não é.

Esta é justamente a questão. É muito fácil conseguir sexo, mas não é só isso o que quero. Quero uma mulher para um relacionamento sério e tudo o que vejo é uma porção de piradas que bebem MUITO, fumam MUITO e pensam muito pouco. Sou um cara que prioriza alguns valores como respeito, verdade e honra. Eu sei, são conceitos antiquados e coisas de velhos, mas fazem parte do meu caráter e não tenho como evitar. Sei, também, que a grande maioria dos homens costuma ser um pouco mais ignorante neste aspecto, mas acredito que as mulheres (de uma forma geral) não iriam degringolar pra esse lado.

Continue lendo →

CompartilheComentários desativados

Meu namorado quer que eu faça sexo anal nele. É normal?

por em 19/10/2013 às 15:44

Meu namorado quer que eu faça anal nele2“Queridíssimas, tenho uma dúvida muito intima e que me aflige demais. Não posso contar para ninguém que conheço porque envolve diretamente meu namorado. Eu o amo demais e não quero expô-lo a uma situação complicada. O meu problema é que preciso saber o quanto é normal o homem pedir para a parceira fazer sexo anal nele? Isto pode significar que ele é gay?

Mariane”

Ei, garota… não se preocupe: fazer um fio terra no seu namorado não vai te matar e muito menos mudar a opção sexual dele. É um pouco difícil assimilarmos que eles sentem prazer na região anal, mas isso é um fato. Aliás, eles têm muito mais prazer do que as mulheres nesta região.

A primeira coisa que me veio a cabeça foi: PARABÉNS ao seu parceiro por ser tão sincero. São pouquíssimos os que confiam a confessar suas vontades não tão ‘convencionais’. Normalmente, procuram fazer um programinha com outras para realizarem estes fetiches. Isso acontece porque ou a mulher é moralista demais ou porque ele é machista. E, se pensar bem, existe uma grande possibilidade deles se abrirem e a parceira contar tudo para as amigas numa mesa de bar.

Eu sei que, a princípio, causa uma estranheza: Será que ele é gay? O que será que vem após do primeiro dedo? O segundo? Terceiro? Será que ele vai liberar a porteira? Olha, eu acredito que não. Provavelmente ele não é gay. Provavelmente…

Continue lendo →

Fica comigo, cara! (2)

por em 17/10/2013 às 15:30

“Mulher é burra. Todas. Sentimentalmente burras.”

casal-tumblrFoi inspirada no post aqui do Malvadas que me pus a pensar: Nada mais verdadeiro.

Se o homem pensa com a cabeça de baixo, nós pensamos com a cabeça do lado esquerdo do peito. Aquela merda de músculo que rege todas as nossas decisões. Quase que constantemente equivocadas. Pois o cupido, aquele filho da puta, quando mira suas flechas em nós coloca uma dose extra de mel, açúcar e leite condensado. Então, é com a mente enebriada pela overdose de glicose que nos apaixonamos.

Consequentemente viramos e fazemos de tudo para que nosso objeto de desejo perceba o que você já entendeu faz tempo: és a mulher de sua vida. Simplesmente ele é a tampa de sua panela, a outra metade de sua laranja, yin pro seu yang. Somos o que preciso for, a amante latina, puta ou virgem, mãe e pai, amiga verdadeira, pega eventual. Não há limites para a paixão, este território que sempre acreditamos já ter explorado e que acaba se tornando terra inóspita a cada recomeço.

Então você pensa, repete, quer gritar pro mundo (ou desenhar pra ele):

– Fica comigo, cara!

Continue lendo →

É normal não ter vontade de transar?

por em 8/10/2013 às 16:53

ta bom“Oi Gabe, sou muito fã do blog e entro todos os dias a espera de uma atualização. Ao contrário das minhas amigas, demorei para me sentir segura com alguém. Logo, tenho 18 anos e estou no meu primeiro relacionamento.

Foi com esse namorado que perdi a virgindade. Estamos juntos há sete meses e tenho com ele a melhor relação possível (ele tem 20 anos e também nunca havia namorado).

A única coisa que precisamos rever é a nossa imaturidade diante de alguns pontos do nosso relacionamentos. Atrapalha porque acaba que ele tem muito ciúmes, mas fora isso eu nunca fui tão feliz.

Quando estou com ele, me sinto a melhor pessoa do mundo. Chego a chorar de felicidade quando estamos juntos. Ele é muito carinhoso e amoroso. E foi por estes motivos que resolvi perder minha virgindade com ele (isso aconteceu há mais de um mês). Não tenho o que reclamar sobre o sexo. Ele prioriza o meu prazer e me senti tão segura com o jeito dele que nem senti dor na primeira vez que transamos.

Vou à casa dele todos os finais de semana e sempre acaba acontecendo. Bem, não bem acontecendo… eu chego e ele já vai tirando minha roupa. Então sempre que vou lá, sei que vai acontecer. Eu acho que isso tira um pouco a magia das coisas (pelo menos para mim). Se eu bobear, ficamos o dia inteiro transando e admito: isso me incomoda. Fui comentar sobre isso e adivinha? Ele apelou falando que quando estamos na minha casa eu tenho vontade e na dele eu não tenho. Fiquei chateada.

Continue lendo →

CompartilheComentários desativados

Por que os homens desaparecem?

por em 7/10/2013 às 20:04

desperate-womenOs encontros foram perfeitos, as noites memoráveis, tudo estava indo muito bem até que ele desapareceu. Você até hoje questiona onde foi que errou.

Que mulher nunca quis saber o porquê disso?

Afinal, o você fez de tão errado para que ele não te procurasse mais? Calma, veja aqui o depoimento de 50 homens (de 20 a 60 anos) que deram seus motivos para terem evaporado. Às vezes, acredite, é melhor que eles sumam mesmo:

Amava outra
“Comecei a sair com uma menina para esquecer a minha namorada, com quem havia brigado. Durou um mês, cheguei a conhecer a mãe dela, então fiz as pazes com a namorada e … como explicar para a outra? Achei melhor desaparecer, o episódio só me ajudou a perceber de quem eu realmente amava.”
- Hélio Junior, 20 anos

Eu tenho namorada
“Rolou uma paquera com uma cliente, tivemos ótima sintonia na cama e ela perguntou quando a gente ia se ver de novo. Fiquei sem resposta, mesmo assim ela telefonou no dia seguinte. Inventei uma desculpa esfarrapada e ela continuou atrás de mim. Comparei e decidi que a minha namorada é melhor. Só não contei isso para a paquera porque vai que rola outra oportunidade…”
- S. F., 20 anos

Sei lá, não rolou
“Ela era colega de faculdade de um amigo meu. O primeiro encontro,foi bacana, tomamos um vinho, batemos papo. No segundo, saímos com os amigos dela, o que já achei precipitado. No terceiro, rolou uma transa que foi até bem legal. Mas algo na despedida já denunciava que não estava dando certo. Na quarta vez que saímos fomos ao cinema. E nunca mais. Porquê? Não sei, acho que simplesmente não rolou.”
- Bruno, 23 anos

Era fácil
“Demorei duas semanas para conseguir sair com uma advogada linda. Quando consegui, ela se manteve à distância. Na hora de deixá-la em casa, roubei um beijo e não acreditei… ela topava tudo! Só não transamos no carro porque eu não quis. Perguntei como podia transar com um estranho sem camisinha e ela disse que era só comigo. Assim não dá… Ela deve fazer sexo com qualquer um.”.
- Luccas, 25 anos

Continue lendo →

Claudia CompartilheComentários desativados

Adeus você...

por em 3/10/2013 às 19:24

Pai escreve uma carta para a filha que rejeitou o filho por ele ser gay.

gay

“Querida Christine,

Você me desapontou como filha. Você está certa sobre termos uma “vergonha na família”, mas errou sobre qual.

Expulsar seu filho de sua casa simplesmente porque ele disse a você que era gay é a verdadeira “abominação”. Uma mãe abandonar o filho é que “é contra a natureza”.

A única coisa inteligente que ouvi você dizer sobre tudo isso é que “não criou seu filho para ser gay”. Claro que não criou. Ele nasceu assim e escolheu isso tanto quanto escolheu ser canhoto. Então, já que esse é um momento de abandonarmos filhos, acho que chegou a hora de dizer adeus a você. Sei que tenho um fabuloso (como os gays dizem) neto para criar e não tenho tempo para uma filha que é uma vadia sem coração.

Se encontrar o seu coração, ligue pra gente.

Papai

Via Yuri Kiddo

CompartilheComentários desativados

Por que as mulheres preferem os casados?

por em 2/10/2013 às 15:38

HomemCasado“Olá Malvadas,

Tenho um relacionamento maravilhoso com meu marido e sempre fomos muito cúmplices. Estamos casados há cinco anos e estou com um problema sério. Meu marido é muito bonito e atraente. No começo, achava normal o assédio e até ríamos juntos quando isso acontecia. Tudo ia bem até que passei a observar que minhas amigas também se insinuavam para ele. Acredito que para não me magoar ele não me contava. Sempre que me reúno com elas algumas dizem que tenho muita sorte de ter o marido que tenho. Ainda ouço piadinhas do tipo “os melhores já foram fisgados“. Percebo que a indireta é para mim… Tenho medo que ele me largue para ficar com alguma delas. Sei lá, já conversei com ele e garantiu que não me deixará nunca.

O que não desce na minha garganta é por que é tão difícil para as mulheres deixarem os homens casados em paz? Por que não somos iguais os homens e mantemos as amizades acima de machos? Às vezes tenho nojo da raça feminina e a maneira como nos comportamos. Será mesmo que as mulheres sempre vão preferir os casados? Fica aqui o desabafo para que as leitoras do blog reflitam quando forem dar em cima ou se envolver com um homem comprometido. Pode acontecer com você um dia…

Beijos,

Renata

Infelizmente a realidade é esta: mulheres transam com homens casados e gostam disto.

Todas nós já ouvimos que elas os preferem. Coincidentemente eu vi essa semana uma matéria que trazia exatamente isso. O que não passava de um simples boato agora teve sua comprovação numa pesquisa feita pela Universidade de Oklahoma. Um grupo de mulheres solteiras receberam fotos de alguns homens bonitos. Quando falaram que eles eram solteiros 59% delas demonstraram interesse nos rapazes. Então elas foram avisadas que eles eram comprometidos e o número de interessadas saltou para 90%.

Continue lendo →

CompartilheComentários desativados

Sobre os fetiches masculinos coletivos

por em 27/09/2013 às 19:59

amSegundo um amigo, autor do Blog do Jorge, homem tem fetiche por qualquer coisa. Eles sonham com mulheres peitudas e, ao mesmo tempo, curtem aquelas com seios delicadinhos que se encaixam na mão. Adoram as submissas e as dominadoras na mesma medida. A preferência passa da loira para a mulata, e vice-versa, conforme a oferta. Tudo vale como desculpa para sentir tesão. De qualquer forma, conversei com vários amigos tentando explicar a vocês as principais taras que os caras têm. Eis o resultado desta enquete.

Ruivas: Elas são uma ideia arquitetada por Deus e aperfeiçoada pelo diabo. Talvez na Irlanda, onde cabeleiras vermelhas são tão comuns quanto uma pint de Guinness, não chamem tanto a atenção. Mas o resto do mundo ocidental fica enfeitiçado. Pode ter mulher mais bonita por perto, mas vamos mirar a ruivinha sardenta. Além de ser mais raro, há aquela curiosidade de saber se o tapete é da mesma cor das cortinas.

Orientais: Das etnias citadas, as orientais ganham disparado. Principalmente, as niponicas. Além da fantasia da gueixa, elas sugerem uma delicadeza que mexe com a rudeza masculina. E ficam mais interessantes com um toque de brasilidade. Mestiças em geral fazem sucesso, mas nossas nisseis e sanseis são um espetáculo à parte.

Uniformes: Qualquer profissão que envolva uma roupa específica de trabalho pode ser sensualizada. Por isso reparamos sempre em aeromoças, enfermeiras, garçonetes e por aí vai. A gente arregala os olhos mesmo se colocarem uma gata dentro de um macacão de mecânico sujo de graxa. Se as Forças Armadas formassem tropas mistas, o alistamento nem precisaria ser obrigatório.

Continue lendo →

CompartilheComentários desativados